01 dezembro 2006

Era uma vez uma menina...


Era uma vez uma menina...
Ela tinha medo de muitas coisas, mas não sabia. Ela precisava de muitas coisas, mas não conhecia. Ela achava que devia ser perfeita. Isso dava muito trabalho! Passou muito tempo da sua vidinha na cela que construiu: a cela da perfeição. Ali, não podia fazer muitas coisas. Tinha que fazer só as coisas certas. E como era difícil fazer a coisa certa! Mas ela conseguia, a todo custo. E ficava orgulhosa.
O tempo passava e ela observava o mundo... observava... e interagia muito pouco. Era perigoso. De sua janela podia ver o que se passava lá fora. Só de relance espiava a vida. E o mundo lhe parecia frio, escuro e perigoso. Tinha medo de sair. Como sobreviveria naquele caos? Não, melhor ficar quietinha. Assim, ela ficou muito tempo, em silêncio. No seu mundo estava segura. Ali, nada a afetava e tudo era perfeito!
Mas um dia resolveu espiar... e o que viu a deixou muito intrigada. Havia pessoas de jeito estranho. Essas pessoas faziam coisas que ela jamais imaginou. Faziam coisas sem pensar! Dá pra imaginar isso? E às vezes, essas coisas davam certo e outras não. Isso não tinha lógica! Que medo, pensou.
Um dia conheceu amigos imaginários e eles a desafiaram. E ela era ótima em desafios! Topou na hora. Botou a cara na porta, tomou todas as precauções e saiu, devagar... Aos poucos, foi colocando a cabeça pra fora da cela. Depois o coração. Experimentou. Experimentou. E viu que também era capaz.
Que felicidade! Podia fazer qualquer coisa! Podia errar, mentir, magoar. Que maravilha, exultou.
Mas o tempo passou e a garotinha perfeitinha não estava contente. Descobriu que fazer essas coisas não era tão bom assim. Aquilo não tinha graça. Não queria mais. Então resolveu parar. Pensar. Pensar. Sentir. Mudar.
E mudou... e ainda está mudando. Hoje a janela do seu mundo dá pra um lindo jardim. Lá faz calor, tem luz e existem flores lindas !!! Ela está feliz. Muito feliz. Está se descobrindo. E está gostando do que vê. Mesmo que isso a assuste, às vezes.
Pelo que sei, hoje ela quer alguém pra olhar o jardim com ela...
Pelo que sei, hoje ela se faz passar por gente grande.
Mas às vezes, ainda tem medo, por isso não diz quem é.

7 comentários:

#____£ilith disse...

que texto lindo!
eu mesma me sinto essa menininha...
me identifiquei mesmo, de verdade.

Anna Claudia disse...

Ameiiiiiiii, falou minha vida neste texto !

Gabi disse...

sou eu

Anônimo disse...

parece feminista. com todas as simplificações e fantasias próprias das ideologias presentes na mídia.

k. florzinha . disse...

Esse texto ta perfeito..
e estou passando para dizer que o colocarei no meu blog..
com todos os creditos devidos!
se quizer de uma passadinha lá..
blog da floor

Atelier Manufato disse...

Texto leve e profundo , ao mesmo tempo, revelando o q passa na alma da maioria das pessoas diante deste mundo doido de hj

Anônimo disse...

Naum gostei!!Tipo a historia e boa mais tinha mts pontos